Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Cherry

19
Fev19

Heeeeelp!

A herdeira nasceu no dia do aniversário do pai. Eu preferia que assim não fosse mas já que aconteceu...

E até agora tudo era giro e maravilhoso. Até dava para fazer umas piadas e graçolas sobre o assunto e todos achávamos piada e riamos com isso.

Até que chegou o dia de pensar na festinha de aniversário.

 

Juro que está para me dar um treco com isto 

 

É certo que a menina não percebe que a festinha também é para ela, afinal fez 1 ano. Mas, como vamos fazer uma festa para o M, obviamente não vamos ignora-la.

Assim sendo, tenho que encontrar um tema que não seja tudo flores e unicórnios mas que também não sejam só carros e futebol  e aqui reside o meu verdadeiro problema!

 

Como se faz uma festa para os dois sem ser demasiado masculino ou demasiado bebé?  é que tudo o que eu vejo tem temáticas de extremos. Ou temos minnies ou temos Cars. Ou temos unicórnios ou temos futebol. Ou temos pretos ou temos rosas. Ou temos azuis ou temos amarelos. Não há um meio termo minha gente? 

27
Out18

Aqui me confesso #44

Vocês ajudem-me a perceber uma coisa: Sou eu que sou uma mãe muito descontraída ou as outras mães de primeira viagem é que são zelosas demais?

 

Ora bem, tinha a Leonor um mês, salvo erro, quando fui a uma consulta de rotina no centro de saúde. Estávamos em pleno inverno, por isso ela ia dentro do ovinho toda embrulhada em roupa e numa manta. Por azar, uma ponta dessa manta estava a tocar no chão. Eu nem tinha reparado mas, felizmente, como neste mundo há muitas pessoas com "mil olhos" e que vêm tudo o que se passa à volta delas, uma Sra tocou-me no ombro:

 

- A manta da sua filha está a tocar no chão.

 

Eu olhei, constatei que a Sra tinha razão mas não fiz nada. Afinal era apenas uma ponta da manta que estava a tocar no chão. Ninguém a tinha pisado. Ninguém a tinha arrastado pelo chão. E eu não tinha colocado essa ponta em contacto directo com a menina. Nada de mal tinha acontecido. A ponta da manta estava apenas em contacto com o chão. Posto isso, na minha santa ingenuidade, virei-me para a Sra e disse apenas e só "Pois está.".

A Sra ficou muito indignada com a minha descontracção, como se eu estivesse a dizer que ia esfregar aquela ponta no chão e depois a iria enfiar na boca da criança. Ficou de tal forma aflita que me respondeu:

 

- Sabe que a sua filha é bebé? - Não deveria saber? Afinal fui eu que a tive!  - Ela não tem defesas! E a manta dela está no chão!

 

Nisto a Leonor acordou e eu deixar de dar atenção ao "escândalo" da Sra para dar atenção à minha filha. 

Depois, quando cheguei a casa, acabei por pôr a manta para lavar. Apenas por descargo de consciência, porque continuava a achar que aquilo tinha sido uma tempestade num copo de água.

 

 

Aqui à dias relembrei essa situação, quando fomos ao IKEA. Estávamos na parte da restauração quando na mesa em frente se sentou um casal e a mãe da rapariga. Com eles traziam um carrinho de bebé com um menino com cerca de um mês de idade, sensivelmente.

Assim que a rapariga constatou que a mãe dela estava devidamente bem sentada para poder segurar a criança no colo, colocou-lhe uma fralda de pano no ombro, uma manta nas mãos e, finalmente, o menino nos braços.

Visivelmente era o primeiro filho - e neto - daquela família. Por isso a mãe estava com todos os cuidados e mais alguns e a avó estava com toda a vontade e desejo de pegar no netinho ao colo.

Com tanto mexe e remexe, a fralda de pano caiu no chão. Mais uma vez ninguém a pisou, ninguém a arrastou pelo chão. Nada. A fralda simplesmente caiu no chão.

E aqui deu-se o maior escândalo que eu tinha visto por causa de uma fralda de pano:

 

- Mãe, deixaste a fralda cair!

- Caiu? Oh, nem dei por nada, dá cá que eu volto a coloca-la no ombro!

- Esta? Nem penses! Caiu no chão, não ouviste?!

- Que mal tem?

- Nem te vou responder! Espera que eu dou-te outra! Mas não a deixes cair no chão também porque eu não tenho mais nenhuma!

 

 

Agora pergunto eu: sou assim tão irresponsável - como aquela avó - por pensar que não haveria problema com a manta estar a tocar no chão - ou a fralda ter caído? Ou estas mães de hoje em dia andam com excesso de cuidados?  Eu bem sei que o chão é pisado por milhentas pessoas e que os sapatos trazem lixo e germes e sei lá mais o quê. No entanto pecar por excesso de cuidados não fará termos crianças sem defesas por mais tempo que o normal? 

16
Jun18

Vamos falar de cocó de bebé?

Digam-me lá mães (e pais) da blogosfera: é só a minha filha que faz cocó quando está a mesa connosco? 

 

É que é certinho! Se, quando vamos comer - seja qual for a refeição - colocarmos o carrinho da Leonor junto a mesa é certo e sabido que até ao final dessa refeição ela vai fazer cocó 

 

03
Fev18

Grávidas da blogosfera: preciso de vocês! #5

Por favor não riam. Eu sei que deve parecer uma pergunta parva mas é realmente algo que me tem atormentado bastante nos últimos dias e preciso da vossa ajuda...

 

Ora aqui vai: Se me rebentarem as águas durante o banho, eu consigo dar por isso? 

 

Digam-me, há alguma sensação descritível ou algum sintoma diferente que permita perceber que rebentou? É porque se estamos no banho há água por todo o lado...e como eu sou uma pessoa bastante distraída tenho medo de não dar por nada  seria possível isso acontecer? 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Sigam-me

Mais sobre mim

Calendário

Agosto 2019

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Quando tudo começou
- 08/05/2017 -

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Segue a Tendência

no Facebook

no Instagram